La Crêpe

A La Crêpe fez parceria com o chef Francês Thierry Laurentcom 20 anos de experiência no mercado de buffet de crepes. Agora você terá a chance de fazer um jantar ou lanche em sua casa, ou marcar sua mini-festa, com deliciosos crepes franceses, feitos de maneira artesanal. Nossos crepes são feitos com trigo sarraceno, como na França (sem glúten e colesterol). São vários tipos de crepes com recheios diferentes (e você pode sugerir seu próprio recheio), ou crepes naturais para que você use o recheio de sua preferência. Temos também crepes sem lactose.

A história do crepe

A origem do crepe é antiga. A primeira receita de crepe foi encontrada na França por volta de 1390. Na Europa os crepes popularizaram-se muito. Este fenômeno é atribuído por alguns à Renascença e ao desejo de Victor Hugo de comer como um dos “Miserables”. Victor e seu vizinho, Vicente da Vinci, começaram a aprimorar o crepe e a divulgar o prato por toda a Europa através de uma “crêperie”. No final do século XVIII, os crepes foram descritos como “um tipo de massa muito conhecida nas terras celtas, típicos do “Mardi Gras” (festa popular francesa, último dia do Carnaval). No começo do século XX, as creperias tornaram-se muito populares. Com o aumento do turismo, os crepes espalharam-se por toda a França e ficaram famosos, tornando-se um dos símbolos da culinária francesa. O mais popular, Crepe Suzette, é frequentemente preparado à vista dos clientes. Os franceses possuem centenas de histórias ligadas aos crepes, e em torno delas existem engraçadas superstições que animam as noites frias em que costumam servi-los. Uma delas é o hábito de levar cada convidado a preparar o seu, formulando um desejo antes de jogar o crepe para o alto. Se cair aberto e do lado certo, o desejo será imediatamente atendido. Caso contrário, o pedido só poderá ser refeito no inverno seguinte. A região onde o crepe é mais difundido é a Bretanha, onde é consumido o ano todo, acompanhado de uma xícara de cidra.

O trigo Sarraceno

O trigo sarraceno, com que fabricamos nossos crepes salgados, não contém glúten nem colesterol, e é considerado remineralizante e fortificante. Seu uso é recomendado durante a amamentação e durante o crescimento das crianças. Promove o desenvolvimento e a proteção do sistema circulatório, e é uma boa fonte de minerais como ferro, zinco e selênio. 100 gramas de trigo sarraceno fornecem potássio (450 mg), cálcio (110 mg), fósforo (330 mg), ferro (4 mg), proteína (12,6 grs), gordura (3,1 grs), água (13,1 grs), carboidratos (70,5 grs) e contêm 335 calorias = 10 crepes. (photo em baixo o " Crêpe nature salée " feito com trigo Sarraceno)